Confira as cinco mais lidas desta quinta

5maislidasconca1 – Repórter fala de interesse do Flu em três jogadores

2 – Celso Barros cobra posicionamento da diretoria do Fluminense

3 – Prioridades da diretoria teriam causado mal estar no elenco

4 – Diretor do Palmeiras se reuniu com goleiro do Fluminense

5 – Em coletivo, Cristóvão indica mudança no Flu para sábado 

 

 

Jean destaca importância de fazer mais de uma função

 

Jean se diz pronto para ajudar em mais de uma função (Foto: Nelson Perez - FFC)

Jean se diz pronto para ajudar em mais de uma função (Foto: Nelson Perez – FFC)

Feliz com a possibilidade de atuar em sua posição de origem, Jean, por outro lado, não descarta ajudar fazendo outra função para ajudar ao técnico Cristóvão Borges e ao time do Fluminense. O volante entende a importância de atuar em mais de um local do campo até para a equipe não ficar previsível.

- É o que falei quando era questionado sobre a lateral direita até na seleção. Eu estou para ajudar sempre o time que estou. Deixei isso claro para ele (Cristóvão) tanto é que optou por isso no início do jogo contra o Atlético-PR. Se achou importante até para o time não ser previsível, é importante ter jogadores com a minha característica. Todas as equipes têm pelo menos uns dois ou três para fazer outras formações e funções. Acaba ajudando muito – analisa o curinga.

 

 

Técnico começa a definir Goiás para enfrentar o Fluminense

Bruno Mineiro pode ser a novidade no Goiás (Foto: Getty Images)

Bruno Mineiro pode ser a novidade no Goiás (Foto: Getty Images)

Em treino realizado na tarde desta quinta-feira, o técnico Ricardo Drubsky começou a definir sua equipe para o jogo de sábado, contra o Fluminense, no Serra Dourada. Na atividade, o treinador lançou Bruno Mineiro no ataque no lugar de Ramon, dando a entender uma possível mudança. Na zaga, Pedro Henrique foi poupado por conta de desgaste físico e o lateral-direito Moisés foi quem entrou no seu lugar.

 

Emprestado pelo Tricolor, Samuel não pode jogar por força contratual.

 

Assim, o Goiás deverá entrar em campo com: Renan, Moisés (Pedro Henrique), Felipe Macedo, Jackson e Lima; Amaral, David, Thiago Mendes e Esquerdinha; Erik e Bruno Mineiro.

Jean comemora volta à sua posição de origem

Jean não descarta jogar fora de posição para ajudar (Foto: Photocamera)

Jean não descarta jogar fora de posição para ajudar (Foto: Photocamera)

Pelo menos se Cristóvão Borges optar pela formação que utilizou no coletivo desta quinta-feira, Jean voltará a jogar na posição de sua origem contra o Goiás, sábado, no Serra Dourada. Satisfeito, o volante terá mais oportunidade para atacar e ajudar da maneira que entende ser mais útil. Mesmo assim, não descarta ajudar em outras funções caso seja necessário.

- Com certeza. É onde me sinto mais à vontade e acho que posso render mais para o time. Meu objetivo é ajudar. É onde acho que posso jogar melhor. Mas quero ajudar e, em determinados jogos, não tem problema nenhum ser deslocado para a lateral direita e não tem problema ser um volante mais defensivo. Mas como volante saindo pelo lado direito e mais liberdade é onde eu acho que me sinto melhor e posso ajudar mais. Claro que estou à disposição do treinador para ele usar como achar melhor no time – disse.

A equipe do Fluminense treinou nesta quinta-feira com: Diego Cavalieri, Bruno, Marlon (Elivélton), Guilherme e Chiquinho; Edson, Jean, Wagner e Conca; Walter e Fred.

Árbitro atrás dos gols será extinto em competições da CBF

Comissão nacional de arbitragem entende que custo-benefício do quarto árbitro não foi o desejado

Comissão nacional de arbitragem entende que custo-benefício do quarto árbitro não foi o desejado

A CBF decidiu que não utilizará mais os árbitros adicionais atrás dos gols em suas competições. A decisão começa a valer a partir do Brasileiro de 2015. Na Copa do Brasil, ainda poderão ser utilizados a partir das oitavas de final. Presidente da comissão de arbitragem do Rio de Janeiro, Jorge Rabello criticou a decisão.

- Óbvio que é um erro. A Uefa organizou em setembro, na Suíça, um workshop com 40 árbitros para treinamento específico de adicionais. Enquanto a Europa está aprimorando a função, nós estamos acabando com ela. É um tiro no pé. Não tivemos capacidade para treiná-los. Não basta colocar em campo. Tem que treinar. A forma como foi feito no Brasil foi incorreta, e pagamos o preço por isso. Até o lado que colocam o adicional no Brasileiro é o errado. Ele tem de ficar do lado oposto ao bandeira. Em 2012 eu disse que, da forma como estava sendo feito, corria o risco de desqualificar a função. O adicional veio para ficar, é questão de tempo. O Brasil parou agora, mas futuramente vai ter de colocá-lo de volta. Além disso, a tecnologia tem de entrar definitivamente na arbitragem. Não dá para competir com 23 câmeras. Precisa ter consciência. O adicional e a tecnologia de linha de gol se completam – comentou.

Já o presidente da comissão nacional de arbitragem, Sérgio Corrêa entende que o custo benefício do árbitro adicional não atingiu o custo-benefício desejado.

- Vários motivos influenciaram a decisão. O primeiro deles é que o custo-benefício não foi o esperado. A questão financeira é com os clubes, que pagam a diária. E nós entendemos que a participação dos adicionais não resultou em acréscimo na qualidade de arbitragem. Só o Brasil estava utilizando esse experimento. Nossos árbitros encontravam aqui uma situação que não teriam fora do país. Além disso, os árbitros jovens tinham a oportunidade de estar nos grandes jogos, mas os árbitros internacionais não os conheciam e não tinham confiança para atender às decisões. Tinham certo receio. Em 2015 não vamos utilizar. Vamos fazer um teste e ver como fica para 2016. Entendemos que, depois de três anos de observações, deveríamos voltar ao estilo convencional. Talvez eles sejam utilizados em confrontos mata-mata decisivos, como a partir das oitavas de final da Copa do Brasil – explicou.

Jean diz que Flu já conhece características do Goiás

Jean diz que importante é não perder (Foto: Photocamera)

Jean diz que importante é não perder (Foto: Photocamera)

Já de olho no Goiás, Jean diz que o Fluminense conhece as características do adversário de sábado. De acordo com o volante, a rapidez da equipe goiana e o campo pesado do Serra Dourada vêm sendo passadas nos trabalhos da equipe.

- Lá na casa deles é difícil. Estamos trabalhando em função da rapidez do time deles e do campo, que é grande. Estamos trabalhando em cima disso e conscientes de que o mais importante é não perder – disse.

Sócios de Goiânia terão direito a ingresso para jogo de quarta

ingressosOs sócios do Fluminense que moram em Goiânia terão direito a um ingresso cada para o jogo de sábado, contra o Goiás, no Serra Dourada, às 19h30. A troca acontecerá no Bar do Mau Mau, das 16h às 17h30, com distribuição por ordem de chegada. A carga de bilhetes é limitada.

Veja as observações divulgadas pelo Fluminense no site oficial:

SERVIÇO:

Troca de ingressos

Local: Bar do Mau Mau

Endereço: R. 19 A – Setor Aeroporto – Goiânia
Data: 01/11
Horário: das 16h às 17h30

OBSERVAÇÕES:

. Os ingressos são limitados e a distribuição será feita por ordem de chegada.

. Os sócios devem estar com as mensalidades em dia para garantir o benefício.
. Os sócios com parcelas em atraso poderão quitá-las no local pelo cartão de crédito.

Jean mira feito inédito do Flu, mas sem loucuras

Jean não vê empate como mau resultado (Foto: Photocamera)

Jean não vê empate como mau resultado (Foto: Photocamera)

O Fluminense vem de três vitórias seguidas no Campeonato Brasileiro e, se bater o Goiás, sábado, no Serra Dourada, fará algo inédito nesta edição da competição. Em busca da quarta vitória pela primeira vez, Jean avisa que o Tricolor não pode fazer loucuras. O volante não quer a equipe partindo para cima de qualquer jeito e abrindo a possibilidade de perder.

- Primeiro é ter tranquilidade, confiança. Mais importante foi readquirir a confiança para poder trabalhar e não ficar pensando que não conseguimos engrenar quatro vitórias consecutivas antes. Mas acho que é o momento. Às vezes não podemos entrar lá querendo fazer uma loucura e sair com uma derrota, que seria péssimo. Um empate não é um mau resultado. É uma boa chegar à quarta vitória, mas tem de acontecer naturalmente – explica.

Nos últimos três jogos, o Fluminense venceu Criciúma, Santos e Atlético-PR.

Dirigente valoriza participação do Fluminense em torneio no EUA

Marcelo Teixeira diz que torneio será transmitido para vários países (Foto: Photocamera)

Marcelo Teixeira diz que torneio será transmitido para vários países (Foto: Photocamera)

A participação do Fluminense na Florida Cup, nos Estados Unidos, entre 15 e 17 de janeiro do ano que vem, foi muito bem recebida por Marcelo Teixeira. O gerente executivo de futebol tricolor elogia a oportunidade do clube para reforçar sua marca no exterior e também a chance de enfrentar novamente times europeus.

- Esta é mais uma oportunidade para o clube marcar presença no mercado norte-americano, mostrando a sua marca e seus atletas. Além disso, existe a enorme importância de o Fluminense voltar a jogar uma competição internacional com equipes europeias, algo que não acontecia há alguns anos. Jogaremos contra grandes potências do futebol mundial e o mundo inteiro poderá assistir, pois os jogos serão transmitidos para diversos países – disse.

Além do Fluminense, participarão do torneio o Corinthians e os alemães Colonia e Bayer Leverkusen.

 

Contra “pedra no sapato”, volante pede Fluminense ligado

Jean lembra das lições nas derrotas passadas para o Goiás  (Foto: Photocamera)

Jean lembra das lições nas derrotas passadas para o Goiás (Foto: Photocamera)

As recentes eliminações do Fluminense contra o Goiás, neste ano na Copa Sul-Americana e no ano passado na Copa do Brasil, não saíram da cabeça de Jean. E, diante desta pedra no sapato, o volante pede para a equipe tricolor entrar ligada em campo e com as lições aprendidas na cabeça.

 

- Sempre tem (a recordação). É difícil esquecer de um adversário que acabou nos eliminando. Acabamos pensando, porque afeta. Claro que são competições diferentes, momentos diferentes. Mas temos de ficar ligados que lá eles são fortes até para não sairmos como da outra vez com a derrota – ensina.