Confira as cinco mais lidas desta terça

as5mais61 – Bruxa solta: Fluminense tem mais dois desfalques

 

2 – Sem querer, Marlon “entrega” mudanças no Fluminense

3 – Apresentador faz lobby por Kaká no Fluminense

4 – Confira os relacionados para o jogo contra o Santos

5 – Flu “perde” quatro jogadores profissionais para a seleção sub-21

 

 

Foto: Duílio participou de encontro de tricolores em Minas

Aconteceu no último domingo, em Lima Duarte, Minas Gerais, um encontro de tricolores. No evento, aconteceu partida de exibição com a participação de Duílio, campeão brasileiro pelo Fluminense em 1984.

Veja a foto divulgada pela organização do evento:

duilio (1)

Tímido, Marlon já colhe frutos da fama

 

Marlon subiu recentemente para os profissionais do Fluminense (Foto: Photocamera)

Marlon subiu recentemente para os profissionais do Fluminense (Foto: Photocamera)

Recentemente lançado aos profissionais do Fluminense, Marlon já colhe os frutos da fama. O zagueiro, tímido, revela ser parado na rua por torcedores. Quando isso acontece, procura dar atenção às pessoas.

- Diferença sempre existe. Mas procuro passar despercebido, o mais simples possível. E me param pouco na rua. Muitas pessoas acham que jogador não quer andar na rua. Quando paro, tento dar toda a atenção do mundo para fazer a felicidade deles – disse.

Magno Alves volta a marcar e dispara na artilharia da Série B

Magno Alves vive grande fase no Ceará

Magno Alves vive grande fase no Ceará

No meio deste ano, Magno Alves ficou muito perto de acertar seu retorno ao Fluminense. Depois de ficar no Ceará, o atacante segue fazendo sucesso na Série B do Campeonato Brasileiro. Na noite desta terça-feira, fez mais um gol e se isolou na artilharia da competição.

Magno Alves marcou o gol do Ceará na derrota por 2 a 1 para o Icasa e agora tem 18 na Série B, sete a mais que o segundo artilheiro, Alexandro, da Ponte Preta.

Em carta aberta, Bom Senso FC pede ajuda a presidenciáveis

bom sMovimento dos jogadores do futebol brasileiro, o Bom Senso FC divulgou carta aberta endereçada aos presidenciáveis Dilma Rousseff (PT) e Aécio Neves (PSDB). No documento, o grupo pede apoio dos candidatos no sentido de democratizar o futebol brasileiro.

O Bom Senso lembra da goleada sofrida pelo Brasil na Copa para a Alemanha, o desemprego de boa parte dos jogadores no país e mais.

Veja aqui a íntegra da carta:

“CARTA ABERTA AOS CANDIDATOS À PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA

Exma. Sra. Dilma Rousseff e Exmo. Sr. Aécio Neves,

No ano em que o país recebeu a 20ª Copa do Mundo do Futebol, os 7 gols da Alemanha pintaram o retrato das décadas de autoengano que vive o nosso futebol. Na nossa própria casa, o visitante veio nos escancarar a enorme fragilidade daquele que, apesar de tudo, ainda é um dos nossos maiores patrimônios culturais.

Temos um ativo econômico, esportivo e cultural que, mesmo mal aproveitado, é altamente consumido. Aquilo que é sonho para tantas modalidades esportivas, é realidade para o futebol: temos tempo de exposição na TV e no rádio, patrocinadores nacionais e estrangeiros e, sobretudo, milhões de apaixonados que consomem diariamente esse produto. No entanto, paradoxalmente, essa alta demanda não resulta em desenvolvimento para as várias dimensões do futebol brasileiro.

Sabe-se que há muito tempo o futebol virou negócio, mas, no Brasil, um negócio bastante peculiar e cheio de contradições mal resolvidas. Vivemos aqui o amadorismo de carteira assinada. Embora o negócio movimente cerca de R$ 11 bilhões por ano, não se sabe para onde vai boa parte dos recursos. O que se sabe é que a gestão amadora não tem sido capaz de financiar o desenvolvimento desse esporte no país.

As contradições não param por aí. Mesmo em um cenário de aumento significativo de receitas, os principais clubes brasileiros foram capazes de aumentar em quase 100% suas dívidas nos últimos 5 anos, sendo que, apenas ao governo, eles devem cerca de R$ 4 bilhões.

Outro sinal desta situação esdrúxula e inaceitável — mas nem sempre evidente — é o futebol ter se tornado um problema social no país. Isso mesmo!

Em nenhuma outra categoria profissional, aproximadamente 80% de sua força de trabalho fica desempregada ou subempregada sistematicamente por 6 ou 7 meses ao longo do ano, sem que nenhuma atitude das autoridades públicas seja tomada. É inadmissível que isso ocorra em um país que se orgulha de ser a 7ª economia do mundo.
O que se observa hoje é consequência do acúmulo de descasos. Não podemos investir mais de R$ 50 bilhões do dinheiro público em Copa do Mundo e Olimpíadas para, em seguida, não nos comprometermos com um plano de política pública para o esporte. Ativa ou passivamente, o desenvolvimento do futebol passa pelas mãos do Poder Público. E a legislação esportiva tem grande influência sobre o atual estágio desse esporte.

A autonomia conferida às entidades que administram o esporte tem se mostrado contraproducente, criando um panorama engessado, dentro do qual a mera suspeita de renovação soa como desvario. Hoje, o futebol brasileiro é refém de um conjunto de estruturas arcaicas sem qualquer comprometimento com transparência, eficiência e participação democrática. São entidades que trabalham exclusivamente em favor da manutenção de seu poder. Não podemos aceitar estruturas fechadas, autoritárias e sem nenhuma legitimidade à frente do Esporte Brasileiro no século XXI.

A despeito da estranha tranquilidade dos responsáveis, a vergonhosa derrota da seleção brasileira na Copa do Mundo é sim o resultado de anos de negligência com esse esporte. Deixando aqui registrado que, apesar do grande alvoroço diante da derrota histórica, até o presente momento nenhum responsável se incomodou ao ponto de apresentar uma solução, considerando o episódio uma mera fatalidade.

É preciso que o Estado assuma o seu papel no desenvolvimento do esporte.
Por isso que nós do Bom Senso Futebol Clube, movimento que reúne mais de mil atletas profissionais em luta por um futebol melhor e que já conta com o apoio de inúmeros setores da sociedade, pedimos, através desta carta aberta, o compromisso explícito dos senhores, atuais candidatos à Presidência da República, com as bandeiras de reforma e democratização das entidades que administram o futebol brasileiro.

Ficamos no aguardo de vossos posicionamentos, na convicção de que este apoio ao futebol e ao esporte brasileiro significa também a esperança para a democracia em toda a nossa sociedade.”

Você gostou das mexidas de Cristóvão Borges?

enquete2

Você gostou das mexidas de Cristóvão Borges?

Ver resultados

Loading ... Loading ...

 

Marlon já está de olho em trio ofensivo do Santos

 

Marlon diz que defesa precisa fazer o seu melhor (Foto: Photocamera)

Marlon diz que defesa não pode deixar o Santos criar (Foto: Photocamera)

De olho no jogo de quarta, Marlon pede imposição à zaga do Fluminense com o trio ofensivo do Santos formado por Robinho, Gabriel e Geovânio. O defensor tricolor destaca a velocidade dos homens de frente santistas e quer uma postura firme da equipe carioca.

- Como parar esse trio? É se impondo, colocando o que eu e todo o time temos de melhor. Não podemos deixar o Santos criar. Precisamos compactar o time para fazermos o nosso melhor – disse.

Atacante do Santos aposta no fator casa contra o Fluminense

Gabriel diz que Fluminense tem grandes jogadores (Foto: Photocamera)

Gabriel diz que Fluminense tem grandes jogadores (Foto: Site oficial do Santos)

Adversário do Fluminense, na quarta-feira, na Vila Belmiro, o Santos vem de vitória no clássico contra o Palmeiras por 3 a 1. Feliz com a fase de sua equipe no Campeonato Brasileiro, Gabriel espera uma partida difícil e prega respeito ao Tricolor. Para sair vencedor no jogo, o atacante santista aposta no fator casa.

- Será um jogo muito difícil. O Fluminense tem grandes jogadores. Mas jogaremos em casa e precisamos dos três pontos. Viemos de um clássico bem jogado e vencemos. Isso é o mais importante. Vamos focar, descansar e treinar para ir com tudo para cima do Fluminense – disse.

Marlon comemora status atingido com Cristóvão

 

Marlon diz que Gum e Henrique fazem falta ao Fluminense (Foto: Photocamera)

Marlon diz que Gum e Henrique fazem falta ao Fluminense (Foto: Photocamera)

Marlon entrou e não saiu mais do time do Fluminense. Feliz com o status atingido junto a Cristóvão Borges, o zagueiro sente ter conquistado a confiança do técnico tricolor.

- Foi muito difícil para jogar. Acabou sendo uma surpresa, porque não esperava estrear contra o São Paulo. Gum e Henrique fazem muita falta. Ganhar a confiança do Cristóvão é muito bom, pois um jovem na zaga ganhar essa confiança do treinador era tudo que eu esperava – comentou.

De olho em possível parceria, Deco visita clube carioca

 

Deco defendeu o Fluminense entre 2010 e 2013 (Foto: Photocamera)

Deco defendeu o Fluminense entre 2010 e 2013 (Foto: Photocamera)

Ex-jogador com passagem pelo Fluminense, Deco visitará o Barra Mansa, nesta quarta-feira, às 11h, de olho em uma possível parceria com o clube carioca, que disputará a Primeira Divisão do Estadual em 2015. Agora na área dos negócios esportivos, o ex-apoiador tricolor afirma que o projeto ainda está apenas no começo.

- O clube busca alternativas para uma nova fase. Vamos conhecer os reais interesses do Barra Mansa e – quem sabe? – permitir que nasça uma parceira que seja boa para todos. Ainda é muito embrionário. Prefiro não criar expectativa nos torcedores da cidade – disse.

Pelo Fluminense, Deco jogou entre 2010 e 2013, sendo bicampeão brasileiro (2010 e 12) e campeão carioca (12).