Confira as cinco mais lidas desta sexta

5maislidas11 – Milan poderá tentar a contratação de zagueiro do Fluminense

2 – Fluminense está próximo de contratar volante

3 – Flu quita salários e direitos de imagem com o grupo

4 – Wagner lamenta injustiça com o amigo Fred

5 – Cristóvão Borges explica barração de Carlinhos

 

Bruno ressalta responsabilidade do Fluminense no sábado

 

(Foto: Nelson Perez - FFC)

Bruno diz que jogo é essencial para o Fluminense (Foto: Nelson Perez – FFC)

Depois da vitória sobre o Santos, fora de casa, na última rodada, o Fluminense voltou a ver mais de perto o G4 do Brasileiro. Justamente por isso, Bruno ressalta a responsabilidade ainda maior da equipe neste sábado, contra o Atlético-PR, no Maracanã. O lateral-direito cobra a vitória para o Tricolor se credenciar de vez na luta pela vaga na Libertadores do ano que vem.

- É um jogo essencial para o nosso time, ainda mais vindo de uma boa vitória fora de casa. Temos de confirmar estes três pontos para entrarmos de vez nessa briga pelo G4 – disse.

Em rede social, Fred declara em quem votará para presidente

Via Facebook, Fred divulgou vídeo revelando seu voto para presidente no próximo domingo. Mineiro, o atacante do Fluminense apoia a candidatura de Aécio Neves, do PSDB.

Veja o que ele escreveu:

fred

Cristóvão torce por volta por cima do “injustiçado” Fred

Fred volta a viver grande fase no Fluminense (Foto: Photocamera)

Fred volta a viver grande fase no Fluminense (Foto: Photocamera)

Apontado por muitos como um dos principais culpados pelo fracasso do Brasil na Copa, Fred volta a viver boa fase no Fluminense e briga com reais chances pela artilharia do Campeonato Brasileiro. Na torcida pelo seu atacante, Cristóvão Borges espera que a campanha do camisa 9 ajude a apagar a injustiça sofrida por ele no Mundial. O treinador não aprova as críticas que foram feitas ao seu atleta e a Felipão, comandante da seleção na ocasião.

- Foi muito injusto a campanha de um trabalho creditar a só um ou ao treinador. Ele é um jogador muito experiente, está acostumado com todo o tipo de situações e vai brigar com grandes chances de chegar a ser artilheiro da competição. Ficamos felizes, pois ajudará o Fluminense e torceremos para ele. De alguma forma, é muito importante também – disse.

Fred tem 12 gols no Campeonato Brasileiro. O artilheiro é Henrique, do Palmeiras, com 14. Marcelo Moreno, do Cruzeiro, e Barcos, do Grêmio, têm 13 cada.

Médico explica situação de Renato no Fluminense

Renato se recupera de lesão na coxa direita (Foto: Paulo Brito - NETFLU)

Renato se recupera de lesão na coxa direita (Foto: Paulo Brito – NETFLU)

Contratado pelo Fluminense em recuperação de uma lesão na coxa direita, Renato ainda não estreou. Mas isso, segundo Douglas Santos, está perto de acontecer. O coordenador médico do clube explica que o lateral-direito passou por um forte trabalho e já está apto para ser utilizado por Cristóvão Borges.

- O Renato está trabalhando fortemente com a preparação física. Fez um trabalho mais longo. Não sei como está o nível de força muscular dele, mas creio que já está à disposição do técnico – explicou.

Flu x Furacão: Jornal lembra de jogadores com história nos dois

Washington e Assis despontaram no Atlético-PR e brilharam no Fluminense

Washington e Assis despontaram no Atlético-PR e brilharam no Fluminense

Fluminense e Atlético-PR se enfrentam neste sábado, às 16h20, no Maracanã, pela 31ª rodada do Campeonato Brasileiro. E os dois clubes têm jogadores com histórias em comum por ambos. Em lista divulgada no jornal Gazeta do Povo, do Paraná, alguns deles são lembrados.

Veja aqui a seleção da Gazeta do Povo de jogadores que marcaram em Fluminense e Atlético-PR:

Washington e Assis – Casal 20 fez história em Curitiba e no Rio de Janeiro

É impossível falar de Washington sem citar Assis, e vice-versa, quando o assunto é Atlético e Fluminense. A dupla chegou à Baixada em 1982. Com a camisa rubro-negra, os dois atacantes fizeram história, ajudando o Furacão a vencer o Campeonato Paranaense após 12 anos de jejum. No ano seguinte, em 83, a habilidade de Assis e a força de Washington foram mostradas juntas para todo o Brasil, com a campanha atleticana na Série A, onde chegou até a semifinal. O sucesso chamou a atenção do Fluminense, que contratou o Casal 20. Nas Laranjeiras, conquistaram a idolatria da torcida tricolor com o título brasileiro de 1984, além de três estaduais. Os dois faleceram neste ano.
Washington – o Coração Valente renasceu no Furacão e brilhou no Tricolor

Em maio de 2003, o Atlético apresentou Washington, mas não conseguiu utilizar o atacante, por conta de problemas cardíacos do jogador. Mas o Furacão não desistiu e disponibilizou sua estrutura para acompanhar a recuperação do atleta, até que, em fevereiro de 2004, o camisa 9 estreou com a camisa rubro-negra. O que aconteceu no restante do ano, nem mesmo o mais otimista atleticano poderia prever. O Coração Valente comandou o ataque do Atlético na campanha do vice-campeonato brasileiro, marcando 34 gols. Até hoje, a marca é o recorde histórico da Série A. Após quatro anos no futebol japonês, o camisa 9 acertou o retorno ao Brasil, para vestir a camisa do Fluminense. Nas Laranjeiras, foi vice-campeão da Libertadores em sua primeira passagem, em 2008, e em 2010 foi parte do elenco que levantou o título do Brasileirão. Washington se aposentou no início de 2011, ao ter seu contrato com o Flu encerrado.
Ricardo Pinto – revelação tricolor acabou sofrendo nas mãos da própria torcida

Um dos principais nomes relacionados à rivalidade entre Atlético e Fluminense é Ricardo Pinto. O goleiro chegou ao Fluminense em 1984, aos 19 anos, vindo do futebol capixaba. Em 1988, assumiu a camisa titular, permanecendo no clube até 1992. Após passar pelo futebol paraguaio e pelo Corinthians, Ricardo desembarcou na Baixada em 1995, conquistando a torcida quase que imediatamente. Veio o título da Série B e o retorno do Furacão à elite nacional. No ano seguinte, uma tragédia quase tirou a vida do camisa 1, mudando a história rubro-negra e tricolor. Na invasão da torcida carioca nas Laranjeiras, Ricardo foi a maior vítima, precisando passar por uma cirurgia para retirada de um coágulo. Hoje, o goleiro não esconde o carinho pelas cores do Atlético, mesmo vivendo no Espírito Santo.
Valencia – cão de guarda tricolor chegou ao Brasil pelo Atlético

O volante Valencia chegou ao futebol brasileiro no início de 2007, contratado pelo Atlético junto ao América de Cali. No Furacão, ficou conhecido pela raça e vontade no meio-campo, sendo um dos maiores ladrões de bola no país. O desempenho chamou a atenção do Fluminense e, a pedido de Muricy Ramalho, então treinador nas Laranjeiras, o colombiano foi contratado. Desde então, são quatro anos defendendo a camisa tricolor. Como grande curiosidade, o camisa 17 do Flu não tem nenhum gol desde a chegada ao país. Pela seleção da Colômbia, o volante já atuou em 12 compromissos, tendo sido convocado nas passagens por Atlético e Fluminense.

Nota da redação: Pelo Fluminense, Valencia é bicampeão brasileiro (2010 e 2012) e campeão carioca (2012).

Saiba como o Atlético-PR deve enfrentar o Fluminense

Atlético-PR treinou na manhã desta sexta-feira no Engenhão (Foto: Site oficial do Atlético-PR)

Atlético-PR treinou na manhã desta sexta-feira no Engenhão (Foto: Site oficial do Atlético-PR)

Adversário do Fluminense, sábado, no Maracanã, o Atlético-PR tem duas ausências por suspensão: o atacante Cléo e o zagueiro Gustavo. No ataque, Douglas Coutinho é o favorito para entrar. Já na defesa, Dráusio é a opção mais provável.

Como no treino da manhã desta sexta-feira o técnico Claudinei Oliveira trabalhou mais as bolas aéreas, não entregou a escalação. Mas a provável formação do Atlético-PR para o jogo de sábado é a seguinte: Weverton, Sueliton, Cleberson, Dráusio (Willian Rocha) e Natanael; Deivid, Paulinho Dias e Bady (Hernani ou Marcos Guilherme); Dellatorre, Marcelo e Douglas Coutinho.

 

Walter admite novo ânimo no time do Fluminense

Walter lembra que G4 no Brasileiro pode até virar G5 (Foto: Moysés Ferman - Fotos Flu)

Walter lembra que G4 no Brasileiro pode até virar G5 (Foto: Moysés Ferman – Fotos Flu)

Novamente titular, Walter admite estar com um novo ânimo junto ao time do Fluminense. Depois de duas vitórias consecutivas no Campeonato Brasileiro, o atacante volta a confiar na conquista de uma vaga para a Libertadores.

- Uma chance nova. Estava quase caindo fora, de repente deu mais uma vida para o Fluminense. Nós jogadores sempre acreditamos que podemos chegar no G4. Pode ser até G5, porque tem Copa do Brasil e até a Sul-Americana – comentou.

Na torcida pelo Flu no G4, Washington não prevê jogos fáceis

 

Washington foi campeão brasileiro pelo Fluminense em 2010 (Foto: Photocamera)

Washington foi campeão brasileiro pelo Fluminense em 2010 (Foto: Photocamera)

Washington se aposentou no início de 2011, logo depois de ser campeão brasileiro com o Fluminense. A identificação com o clube, porém, segue inabalável. Na torcida para o Tricolor conseguir um lugar no G4 do Campeonato Brasileiro e se classificar para a Libertadores de 2015, o ex-atacante não vê jogos fáceis daqui por diante. Para o Coração Valente, o time precisa encarar todas as partidas com o máximo de seriedade.

- Serão sempre jogos difíceis agora. É difícil dizer qual jogo será mais fácil. É difícil planejar. Agora, são só jogos dificílimos, decisivos. o Fluminense tem de tratar cada jogo como decisão. Independentemente de qual jogo ou situação, é o time estar preparado, focado – analisou.

Pai de Peter Siemsen não solicitou Bolsa Atleta

 

Peter Dirk Siemsen não sabia da solicitação da verba oferecida pelo governo (Foto: Divulgação Amcham Rio)

Peter Dirk Siemsen não sabia da solicitação da verba oferecida pelo governo (Foto: Divulgação Amcham Rio)

Acusado em reportagem de receber o Bolsa Atleta de maneira irregular, Peter Dirk Siemsen, pai do presidente do Fluminense Peter Siemsen, não solicitou a verba do governo federal. De acordo com o presidente da Confederação Brasileira de Vela (CBVela), Marco Aurélio de Sá, um tripulante da embarcação comandada por Siemsen, a Ângela Star VI, teria feito o pedido através da secretária do comandante.

- Não foi o Peter quem pediu. Foi a secretária dele através de um tripulante, que viu que tinha direito de pedir a bolsa pelos resultados. O Ângela VI corre várias regatas. A predileta do “Peterzão” é a de Salvador, que custa R$ 25 mil entre hospedagem do barco, pagamento da tribulação, transporte e combustível. O tripulante, para tentar agradar, deve ter tentado diminuir os custos do barco com a bolsa – disse Sá, sem revelar o nome do tripulante.

Sá esclarece ainda que pode ter havido um erro para o repasse da verba do Ministério do Esporte para a embarcação de Peter Dirk Siemsen, uma vez que a competição não se enquadrava nos parâmetros que dão direito ao recebimento.  Ele também explica que o governo não oferece a bolsa aos atletas, mas eles precisam fazer a solicitação.

Peter Siemsen, por sua vez, afirmou que o pai não tinha ciência da situação do Bolsa Atleta e garantiu a devolução da verba.