Valencia completa marca expressiva pelo Fluminense

Foto: Photocamera

Foto: Photocamera

Poupado, Diguinho cedeu lugar a Valencia, que atingiu marca expressiva pelo Fluminense. O colombiano completou 100 partidas pelo clube. O volante estreou no Tricolor em 5 de setembro de 2010 e conquistou três títulos no período: Dois Brasileiros e um Estadual.

- Estou muito feliz por atingir essa marca histórica em um clube da grandeza do Fluminense. É uma honra e um orgulho que vou carregar pelo resto da minha vida. O mais importante foi que conseguimos uma boa vitória e eliminamos a partida de volta, o que será muito bom lá na frente. O time todo está de parabéns pela atuação - avisou o volante tricolor.

Empresário revela que Gum está preocupado com seu futuro

Foto: Photocamera

Foto: Photocamera

O contrato de Gum e de mais seis jogadores termina no fim do ano. A partir de julho podem assinar um pré-contrato com qualquer equipe e, por isso, pedem pressa para definir o futuro. Empresário do zagueiro, Jorge Moraes, afirmou que o jogador, desde 2009 no Fluminense, está ansioso.

- O Gum está preocupado, é claro. Fica pensando se o clube realmente quer continuar com ele. Já tivemos duas reuniões, e o Fluminense sempre mostrou interesse no jogador. Eles estão dentro do prazo. Ainda esperamos um contato oficial deles – explicou o agente.

Além de Gum, Carlinhos, Diego Cavalieri, Diguinho, Leandro Euzébio, Valencia e Chiquinho terão seus compromissos encerrados em dezembro.

“Walter é um irmão, além de tudo acima da média”, elogia Fred

2A oportunidade de atuar ao lado do camisa 9 do Fluminense e da seleção foi destacada por Walter em entrevista na beira do gramado do Estádio Municipal de Juiz de Fora. O capitão tricolor retribuiu os elogios.

- Walter é um irmão nosso, além de tudo um cara acima da média tecnicamente, muito inteligente dentro de campo, Desde a chegada dele nós nos fortalecemos muito, criamos essa amizade boa, sincera, e sempre torcendo para ele, nosso ambiente vai ser sempre esse. Quando faço gol, ele vem me dar um abraço, quando o Sobis faz gol, o Conca, a gente está sempre dividindo essa alegria juntos – disse Fred.

Fluminense e Tupi realizaram jogo “padrão Fifa”

Foto: Nelson Perez

Foto: Nelson Perez

Fluminense e Tupi disputaram uma partida bem jogada na quarta-feira, em Juiz de Fora. Em confronto leal, houve 61 minutos e 40 segundos de bola rolando. A Fifa estipula que um jogo corrido, bem disputado deve ter, pelo menos 60 minutos de bola rolando, sendo 70 minutos um tempo considerado ideal.

O Tricolor, em dado momento do embate teve mais de 70% de posse de bola e terminou a peleja com 62% contra 38% dos mineiros.

Presidente combate pecha elitista do Fluminense

Foto: Photocamera

Foto: Photocamera

A política do preço dos ingressos baratos será utilizada por toda a temporada pelo Fluminense. Elogiado pela imprensa e torcedores, o presidente Peter Siemsen diz que tenta contraria a pecha de clube de elite que perseguiu o Tricolor por muitas décadas.

- Essa coisa de elite já acabou há muito tempo. Quem conhece o clube hoje percebe que não somos mais considerados de elite. Procuramos atender a todas as classes sociais. O nosso programa de sócio-torcedor é barato. Paga-se R$ 30 por mês, tem direito a meia entrada, uma série de outros benefícios e ainda vota para presidente. O Fluminense hoje é um clube extremamente democrático. Acho que no Brasil só o Fluminense e o Atlético-PR tem sócios-torcedores que votam para presidente diretamente. Isso é muito legal. O perfil do Fluminense é se tornar um clube cada vez mais popular – afirmou Peter.

“O Estado é um adversário”, lamenta Peter Siemsen

Foto: Photocamera

Foto: Photocamera

A briga entre o Fluminense e a Procuradoria Geral de Fazenda Nacional está longe do fim. O clube ainda não conseguiu desbloquear verbas referentes às vendas de Wellington Nem e Thiago Neves, fora outras verbas que estão impedidas de entrarem para o caixa do clube. Peter Siemsen lamenta esta postura.

- Todos estão cientes do problema que temos com a Procuradoria. Sinceramente, eu não gosto de falar desse assunto de novo, porque as pessoas ficam de saco cheio. Mas é inacreditável o tratamento que o Fluminense tem recebido até hoje, a diferença com que ele é tratado em relação a Flamengo e Vasco ,considerando que nossas contas estavam em melhores condições. A gente recolocou fluxo de caixa, está pagando em dia, mas de uma forma sofrida, dura, porque o Estado hoje é um adversário nosso, não um parceiro no crescimento, no trabalho que a gente tem feito – explicou Peter, dando uma dimensão do problema:

- Hoje o Fluminense tem bloqueado R$ 2,2 milhões por mês, que é o dinheiro oriundo dos direitos de transmissão do Brasileiro, da Globo. Isso dificulta muito a capacidade de investimento do clube. Fomos totalmente prejudicados pelo tratamento da Procuradoria. Hoje, nossa luta é para que sejamos tratados iguais. Ainda não alcançamos esse objetivo. A maneira como a Procuradoria se porta nessa situação é bastante desagradável. Isso não é papel de um país que que queira crescer e tratar seu cidadão de forma igual. É o que esperamos de uma sociedade evoluída, o que a nossa ainda não é.

Treinador não vê jogo contra o Palmeiras como um teste definitivo

Foto: Photocamera

Foto: Photocamera

O Fluminense não deu chance para o azar e despachou Horizonte, Figueirense e Tupi nos três primeiros jogos sob o comando de Cristóvão Borges. A expectativa agora recai sobre o duelo com o Palmeiras, sábado, no Pacaembu, considerado uma prova de fogo para o time. O treinador discorda:

- O Palmeiras é um dos grandes clubes do futebol brasileiro e certamente vai exigir muito da nossa equipe. Mas não considero a próxima partida como definitiva para avaliar o potencial do Fluminense. O time vai ser testado durante toda a temporada, diante de vários adversários difíceis – disse Cristóvão, elogiando a postura da equipe:

- Estamos num crescente e a cada jogo vai se avaliar o andamento da equipe. É um adversário do tamanho do Fluminense, com a mesma força. Vamos cuidar bastante da recuperação dos jogadores, para que todos estejam prontos para essa partida. Pela maneira que está se encorpando ao sistema de jogo, é um time com alma e nos traz muita confiança

#AindaMaisFortes: Peter e Cristóvão Borges entram na corrente

O presidente do Fluminense, Peter Siemsen, e o técnico Cristóvão Borges também entraram firme na campanha #AindaMaisFortes que o clube faz pelas redes sociais. O apoiador Wagner e o volante Diguinho, titulares do time desde a chegada do novo comandante, também participaram:

1

2

3

João Marcelo Garcez: Ciranda tricolor

2“Assim o torcedor tricolor vai ficar bem acostumado”. Desta maneira, João Marcelo Garcez inicia seu novo post no NETFLU. Contente com o que tem visto, o jornalista e publicitário lembra que se os três primeiros adversários da Era Cristóvão eram de baixo nível, os rivais no Carioca não eram muito diferentes e havia sofrimento para vencê-los.

Confira a análise completa do blogueiro sobre o jogo contra o Tupi e do início de trabalho do novo técnico clicando aqui.

Peter: “Trabalho do técnico anterior não estava sendo absorvido”

Foto: Photocamera

Foto: Photocamera

Ao avaliar o início da era Cristóvão Borges no Fluminense, Peter Siemsen enalteceu a rápida assimilação que os jogadores tiveram com a filosofia do novo treinador. O presidente do clube entende que o antecessor não estava conseguindo passar o que gostaria.

- Acho que não é uma questão só de uma pessoa. O trabalho anterior não estava sendo absorvido pelo grupo e agora o elenco está respondendo bem, Estamos confiantes e animados de que o trabalho continue dessa forma e que o Fluminense possa obter grandes resultados nesse ano – disse Peter.