Cristóvão admite que derrota põe o Tricolor contra a parede

cristovao1Quatro jogos, três derrotas e um empate. Os números recentes mostram quanto o Flu caiu de produção nas últimas partidas. De vice para quinto lugar, o Time de Guerreiros se vê cada vez mais longe do topo da tabela. Sem ignorar o cenário, o técnico Cristóvão Borges assumiu, embora não perca o otimismo, que a situação serve de alerta ao Tricolor.

- Sim, (a derrota) nos pressiona. Futebol é resultado. Sempre estivemos bem colocados, entre os quatro. Vamos perder posições, naturalmente. Quando não se ganha, se fica pressionado. É assim, é normal. Nós temos compromisso com a vitória e não temos conseguido. O grupo é experiente, os jogadores estão acostumados a todas as situações. Temos força e qualidade para nos recuperar – reconheceu.

Sobis diz que não tem como o Flu manter o ritmo que vinha mantendo

Foto: Photocamera

Foto: Photocamera

Preterido pelo técnico Cristóvão Borges para iniciar o jogo desta quarta-feira, Rafael Sobis viu pelo banco de reservas o Fluminense sofrer o primeiro e único gol da partida contra a Chapecoense. Entrando após os 30 do segundo tempo, o atleta pouco contribuiu, tirando um chute de fora da área. Vendo o Fluminense cair na tabela de classificação, o jogador ressaltou que não há como a equipe repetir as atuações de quatro rodadas atrás.

- Não tem como manter o ritmo que a gente estava mantendo. A fase ruim chega para todas as equipes porque o campeonato é longo. A nossa deve ter chegado agora. Vamos manter a cabeça no lugar – disse.

Walter: “Ninguém é besta aqui. Sabemos que o momento é difícil”

04_ZOOMMas uma partida em branco. Assim como seu companheiro de ataque, Fred, o atacante Walter também não estufou as redes, na última noite, diante da Chapecoense, na Arena Condá. O placar de 1 a 0 para os donos da casa, que tirou o Time de Guerreiros do G4, ligou ainda mais o sinal de alerta dos comandados de Cristóvão Borges, como frisou o jogador.

- Ninguém é besta aqui. Sabemos que estamos passando por um momento difícil. Num jogo desse, quem fizesse o gol primeiro iria ganhar – decretou.

Cristóvão explica por que iniciou a partida com Fred e Walter

cristovaoO Time de Guerreiros acabou levando a pior na Arena Condá, diante da Chapecoense. Na partida que terminou em 1 a 0 para os donos da casa, o que chamou a atenção foi o fato de Sobis ter iniciado a partida no banco de reservas, em detrimento da escalação de Walter ao lado Fred, no ataque. De acordo com o técnico Cristóvão Borges, aliás, a dupla não fez um jogo ruim.

- Procurando alternativas, eu gostei do que a equipe criou. A gente tinha essa dificuldade. Fizemos isso também no segundo tempo contra o Botafogo. Por isso, comecei assim. Todo mundo se estuda. E, por isso, mudei o nosso time. Walter prende a bola no ataque e isso evitou o Fred de ficar isolado no ataque – disse.

Fred tranquiliza a torcida e promete um Flu diferente no Maracanã

05_ZOOMMais um dia em que Fred não conseguiu desempenhar bem o seu papel, juntamente com seus companheiros, dentro de campo. Com poucas chances, o jogador deu pouco trabalho ao sistema defensivo da Chapecoense. Entretanto, apesar da derrota por 1 a 0, o camisa 9 destacou que a postura da equipe vai ser diferente no domingo, frente ao Sport, no Maracanã.

- Vamos recuperar aí, ganhar dentro de casa, para recuperar esses pontos perdidos – prometeu.

Atuações NETFLU – Chapecoense 1 x 0 Fluminense

Fred não mostrou poder de fogo (Foto: Photocamera)

Fred não mostrou poder de fogo (Foto: Photocamera)

Diego Cavalieri – Nota: 5,5

Sem culpa no gol da Chapecoense. No mais, exigido em apenas uma defesa de maior complexidade.

Bruno – Nota: 5,5

Foi bem na parte defensiva e apareceu pouco na frente. Ficou perto de marcar em chute de fora da área.

Edson (Intervalo) – Nota: 2

Marcou mal no lance do gol da Chapecoense. Quando saiu da lateral direita e foi para sua posição de origem no meio de campo pouco acrescentou.

Elivélton – Nota: 5

Tirando um corte esquisito ainda no primeiro tempo, atuou com seriedade e deu poucos espaços ao ataque adversário.

Henrique – Nota: 2

Sua pixotada ao cortar uma bola fácil lá atrás foi crucial para a derrota do Fluminense.

Carlinhos – Nota: 4

Foi boa opção ofensiva em todo o jogo. Vacilou ao perder a cabeça em reclamação com o árbitro no fim da partida e acabou expulso.

Valencia – Nota: 5

Apesar de enrolado quando tinha a bola nos pés, fez corretamente seu papel na marcação.

Jean – Nota: 6,5

Lutou o tempo inteiro e ainda se apresentou na frente. Com dois chutes de fora da área, ficou perto de marcar.

Cícero – Nota: 4,5

Não foi o mesmo de partidas anteriores. Exceto um chute da entrada da área no primeiro tempo, limitou-se a tocar a bola de lado.

Conca – Nota: 5

Procurou sempre armar as jogadas, mas não teve noite inspirada. Não conseguiu municiar o ataque com seus costumeiros bons passes.

Walter – Nota: 5

Foi bem no primeiro tempo, arriscando belo chute de fora da área e procurando Fred para as tabelas. Caiu de produção no segundo e foi corretamente substituído.

(Rafael Sobis, 32 do 2º T) – Nota: 4,5

Teve pouco tempo para tentar mudar alguma coisa. Só foi notado em um arremate da entrada da área defendido pelo goleiro da Chapecoense.

Fred – Nota: 4,5

Saiu muito da área procurando as jogadas e tabelas com Walter. Não mostrou, porém, seu poder de fogo e finalizou apenas uma bola com certo perigo numa cabeçada sem muita força.

Cristóvão Borges – Nota: 4

Apostou na entrada de Walter no lugar de Sobis e o Fluminense fez um bom primeiro tempo. Pecou no segundo ao deixar Edson na lateral direita e demorou a tentar mudar a cara do time com o adversário em vantagem.

Irritado após nova derrota, Jean desabafa: “Está bom? Não está!”

JEAN2-300x191Ao que parece, não são apenas os torcedores que estão chateados com a fase do Fluminense, que teve um empate e três derrotas nos últimos quatro jogos. Sacrificado durante parte do jogo, já que teve de revezar a lateral-direita, no segundo tempo, com Edson, o volante não escondeu a chateação ao final da partida frente a Chapecoense, que terminou em 1 a 0 para os donos da casa, quando questionado acerca do momento do Flu.

- Tentar reverter. vai dizer o que? está bom? não está! todo mundo está vendo. Agora é tentar reverter – desabafou.

Sobis evita polemizar sobre reserva: “O treinador tem todo o direito”

SOBISO Time de Guerreiros perdeu mais uma partida no Brasileirão. Agora, a equipe que bateu os comandados de Cristóvão foi a Chapecoense, por 1 a 0. Sobis, que entrou aos 30 do segundo tempo, ao ser questionado sobre o fato de ter ficado no banco de reservas, contemporizou.

- O treinador tem todo direito, é uma escolha dele, jamais vou reclamar. Quando eu entrei, tentei fazer o melhor – destacou.

 

 

 

Defesa volta a falhar, Flu perde novamente e sai do G4

Fluminense foi ineficiente no ataque e não aproveitou superioridade técnica (Foto: Photocamera)

Fluminense foi ineficiente no ataque e não aproveitou superioridade técnica (Foto: Photocamera)

Fora de casa e diante de um adversário tecnicamente muito fraco, o Fluminense deu a impressão e tinha tudo para encerrar a série de três jogos sem vitórias (havia empatado com o Coritiba e perdido para América-RN – pela Copa do Brasil – e Botafogo). Porém, a ineficiência na frente e nova falha da defesa acabaram dando a vitória por 1 a 0 para a Chapecoense, na noite desta quarta-feira, na Arena Condá. Com o resultado, o Tricolor deixou o G4 do Campeonato Brasileiro, caindo para o quinto lugar estacionado nos 26 pontos. Camilo, após pixotada de Henrique e marcação frouxa de Edson fez o gol dos catarinenses.

Cristóvão Borges surpreendeu na escalação ao tirar do time o até então intocável Rafael Sobis para promover a entrada de Walter ao lado de Fred no ataque. Em campo, o que se viu foi um Fluminense superior ao limitado adversário por todo o primeiro tempo. Mesmo em casa, a Chapecoense mostrava muita dificuldade para criar jogadas.

Já o Tricolor, apesar de melhor, falhava no passe final e nas aproximações. Conca era o principal organizador e cumpria bem o seu papel. Carlinhos, pela esquerda, também aparecia como boa opção. As chances foram aparecendo, mas todas em finalizações de longa distância. Jean e Cícero passaram perto do gol. Bruno parou nas mãos do goleiro adversário. Na mais bonita delas, Walter arriscou de trás da linha do meio de campo vendo Danilo adiantado e o camisa 1 da Chapecoense precisou se virar para mandar a escanteio e não ser surpreendido. Fred, de cabeça e já no fim, também ameaçou.

O Fluminense voltou para o segundo tempo com uma substituição forçada: Bruno sentiu uma pancada e deixou o campo para a entrada do volante Edson, improvisado na lateral direita. Os primeiros minutos davam a impressão de que o ímpeto tricolor seria mantido, mas um velho mal voltaria a atormentar: a defesa. Quando Henrique cortou cruzamento rasteiro de maneira ridícula, Fabiano devolveu a bola na área de cabeça para o baixinho Camilo, às costas de Edson e acertou cabeçada fulminante, sem chances para Diego Cavalieri.

Atrás no marcador, o Tricolor não mostrou qualquer poder de reação e em nenhum momento chegou a ameaçar a vitória da Chapecoense. No fim, Carlinhos ainda foi expulso por reclamar de maneira veemente com o árbitro da partida. A fase tá difícil. O próximo jogo é no domingo, no Maracanã, diante do Sport.

Confira os atletas à disposição de Cristóvão Borges no banco

biroO Fluminense tem um importante encontro, nesta quarta-feira, na Arena Condá, em Santa Catarina. Buscando a reabilitação, os comandados de Cristóvão Borges terão pela frente a Chapecoense. Para a partida em questão, o treinador do Time de Guerreiros, vai ter as seguintes opções, caso queira mudar a cara do jogo: Klever, Marlon, Fabrício, Diguinho, Edson, Fernando, Rafinha, Gustavo Scarpa, Rafael Sobis e Biro Biro.