Volta de Wagner ao meio de campo agrada volante

Edson destaca experiência e qualidade de Wagner (Foto: Nelson Perez - FFC)

Edson destaca experiência e qualidade de Wagner (Foto: Nelson Perez – FFC)

Com Ricardo Drubscky, Wagner vinha figurando entre os reservas do Fluminense, mas, baseado nos primeiros treinos comandados por Enderson Moreira, o apoiador estará de volta à equipe no domingo, contra o Corinthians, no Maracanã. Retorno esse aprovado por Edson. O volante gosta da companhia do camisa 10 no meio de campo e admite que ele vinha meio chateado por ter saído do time.

– Gosto muito do Wagner. É um jogador que ataca e defende muito. Ajuda muito para o sistema da equipe. É experiente, sabe que todos têm de melhorar. Ele acaba ficando chateado por ficar fora. Mas tem de ser assim, querer jogar mesmo. Pois todos podem contribuir e é isso que ele procura fazer – disse.

Revelado no Flu, volante confessa gratidão a Abel Braga

Abel Braga lançou Radamés no Fluminense (Foto: Gabriel Perez)

Abel Braga lançou Radamés no Fluminense (Foto: Gabriel Perez)

Revelado no Fluminense, onde foi campeão carioca em 2005, Radamés afirma ser muito grato a Abel Braga, técnico que o lançou. O volante, hoje no Paysandu, já rodou muito, mas a consideração pelo treinador segue muito grande.

– O Abel foi um cara que me deu as melhores oportunidades da minha vida. Foi o cara que mais me colocou para atuar, ele que me subiu para o profissional com 18 anos, e me colocou para jogar sem medo. Foi o cara que me levou para os Emirados Árabes. Foi um pai. Temos um carinho muito grande um pelo outro – disse.

Contratação de Breno causa crise interna no Fluminense

Vice-presidente médico do Fluminense não avalizou contratação de Breno (Foto: Nelson Perez - FFC)

Vice-presidente médico do Fluminense não avalizou contratação de Breno (Foto: Nelson Perez – FFC)

A complicada contratação de Breno Lopes trará consequências internas ao Fluminense. Nos bastidores do clube, uma crise foi instaurada. Vice-presidente médico, Sérgio Galvão, ao detectar uma anomalia no coração do lateral-esquerdo, não avalizou a chegada. No entanto, o presidente Peter Siemsen autorizou o negócio baseado em cinco outros laudos. Por conta disso, Galvão entregará seu cargo na próxima segunda-feira.

– Estou no clube por amor. Não recebo nada. No momento que o nosso aval não é respeitado, acho melhor me retirar. Vou voltar para arquibancada como sempre fiz – explicou o médico.

E a saída de Sérgio Galvão não traz consequências só no departamento médico, mas também na política do clube, uma vez que foi importante cabo eleitoral de Peter Siemsen e a relação entre ambos ficou abalada.

Para chegar ao Fluminense, Breno Lopes e seu representante também assinaram um termo se responsabilizando por qualquer problema futuro.

Titular com os três técnicos no ano, Edson comemora: “Um prazer

Edson está com moral nas Laranjeiras (Foto: Nelson Perez - Fluminense FC)

Edson está com moral nas Laranjeiras (Foto: Nelson Perez – Fluminense FC)

Primeiro Cristóvão Borges, depois Ricardo Drubscky e, agora, Enderson Moreira. Com os três técnicos do Fluminense no ano, Edson se manteve como titular. Contratado no ano passado, o volante não se sente aliviado com o status adquirido nas Laranjeiras, mas feliz. Agora, faz planos de seguir ajudando a equipe.

– Alívio, não. É um prazer. Trabalhei para isso. Independentemente do que está acontecendo, é importante estar bem. O futebol é cobrança todos os dias e não podemos dar brecha. Tenho de ajudar o Fluminense a brigar pelo topo sempre – disse.

Edson reconhece inúmeros erros do Flu contra o Atlético-MG

Edson também fez elogios ao jogo de estreia do Fluminense no Brasileiro (Foto: Paulo Brito/NETFLU)

Edson também fez elogios ao jogo de estreia do Fluminense no Brasileiro (Foto: Paulo Brito/NETFLU)

Domingo, contra o Corinthians, o Fluminense via atrás da reabilitação no Campeonato Brasileiro após levar uma surra de 4 a 1 diante do Atlético-MG, na segunda rodada. Sincero, Edson reconhece inúmeros erros do time tricolor no revés em Brasília. Na visão do volante, tanto a marcação quanto o fato das jogadas com Fred no ataque não terem saído foram cruciais para o domínio adversário.

– Se você perceber o nosso primeiro jogo, com todo respeito ao Joinville, que não mede forças com o Atlético, mas não deram um só chute a gol. Contra o Atlético, eles nos envolveram. Não encaixamos a marcação. Temos muitos jogadores inteligentes que precisam ter essa leitura de jogo. O treinador optou por mais aproximação no Fred e ele precisa fazer gols, fazer um dois, deixá-lo na cara do gol – disse.

Dirigente do Fluminense se encontra com ministro do Esporte

Na última quinta-feira, o vice-presidente de esporte olímpico do Fluminense, Márcio Trindade teve um encontro com o ministro do Esporte, George Hilton, em Brasília. Na reunião, o dirigente tricolor expôs a importância da Lei do Incentivo ao Esporte para os esportes olímpicos.

 

Veja registro do encontro:

 

Foto: Reprodução do Instagram do Fluminense

Foto: Reprodução do Instagram do Fluminense

Ferj pressiona, mas boicote ao Vasco na base segue para Taça BH

Paulo Sérgio treinava no Fluminense, mas Vasco o aliciou na base

Paulo Vitor treinava no Fluminense, mas Vasco conseguiu inscrevê-lo com anuência da Ferj

Por conta do aliciamento ao atacante Paulo Vitor, do Fluminense, o Vasco vem sendo boicotado nas competições de divisões de base e, mesmo com a pressão de sua aliada Federação de Futebol do Rio de Janeiro (Ferj), não deve ter sucesso para entrar na Taça BH, este ano sendo disputada com equipes sub-17. A Ferj tenta argumentar junto à Federação Mineira de Futebol (FMF).

Claramente assumindo uma postura favorável ao seu aliado e depois de inscrever o jogador à revelia da vontade do Fluminense, onde ele treinava, a Ferj ameaça não liberar a participação dos outros clubes cariocas na competição da FMF caso o Vasco não seja incluído. A situação não caminha para um desfecho amigável.

Marlon vira exemplo para a base do Fluminense

Marlon é uma das crias do Fluminense (Foto: Flickr - FFC)

Marlon é uma das crias do Fluminense (Foto: Flickr – FFC)

Em excursão com o time sub-20 pela Europa, Marcelo Teixeira valoriza muito a experiência adquirida pelos jovens valores do Fluminense em competições fora do país. Gerente de futebol do clube, ele lembra do zagueiro Marlon como um bom exemplo desse crescimento adquirido pela prática adotada no Tricolor das Laranjeiras.

– Melhorando o atleta como pessoa, certamente, ele melhora dentro de campo. Um exemplo de evolução enfrentando escolas de futebol diferentes da brasileira é o zagueiro Marlon. Ele é um jogador extraordinário, capitão da seleção Sub-20 e teve a oportunidade de participar de muitas viagens e torneios no exterior. Certamente ajudou muito na maturidade, tranquilidade e desempenho dele na equipe profissional – disse.

Enderson conta como foi seu primeiro contato com o grupo

Enderson e Fred já se conheciam da primeira passagem do técnico (Foto: Nelson Perez - FFC)

Enderson e Fred já se conheciam da primeira passagem do técnico (Foto: Nelson Perez – FFC)

Apresentado na última quinta-feira como novo técnico do Fluminense, Enderson Moreira está de volta ao clube que comandou rapidamente em 2011. Na entrevista coletiva, mesmo após um rápido contato com o grupo, o treinador ficou feliz por ter visto os jogadores com muita vontade de melhorar.

– O reencontro com os atletas foi rápido, mas aqueles que tive contato anterior e todos os outros foi muito bom. Todos querem acertar e fazer o torcedor se orgulhar do time – disse.

No grupo, Enderson reviu velhos conhecidos como Fred, Diego Cavalieri e Gum, presentes em sua passagem anterior.

Edson admite que tempo para Enderson mudar algo foi curto

Edson diz que é necessário mais tempo de preparação (Foto: Paulo Brito/NETFLU)

Edson diz que é necessário mais tempo de preparação (Foto: Paulo Brito/NETFLU)

Enderson Moreira chegou ao Fluminense na quinta-feira e, domingo, já terá o Corinthians pela frente. Sincero, Edson admite que foi muito pouco tempo de trabalho para o novo técnico fazer algo. Com disposição, o volante promete esforço e prevê um futuro positivo com o treinador.

– Nada, né? Pouca coisa. Ainda mais o futebol que exige um tempo maior de preparação. De repente pode encaixar em 72 horas. Estamos fazendo o possível para dar certo. Creio que vá acontecer coisas boas – disse.